Tratamento

Intensivo

Orienta-se administrar oxigenoterapia suplementar imediatamente aos pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e dificuldade respiratória, hipoxemia ou choque. Para pacientes sem evidência clínica de choque, o tratamento de fluidos deve ser conservador.

Evidencia-se a importância do reconhecimento precoce do desconforto respiratório grave, mesmo quando em oxigenioterapia ofertada em alto fluxo. Orienta-se instituir ventilação mecânica precocemente em pacientes com insuficiência respiratória hipoxêmica persistente (apesar da oxigenoterapia). Considerar ventilação não invasiva (VNI) se desconforto respiratório leve, imunossupressão presente ou problemas cardiovasculares. Proceder com intubação endotraqueal caso não haja resposta à VNI. O procedimento deve ser realizado por um profissional treinado e experiente, utilizando precauções para aerossóis. Implementar ventilação mecânica usando volumes correntes mais baixos (4-8 ml / kg de peso corporal previsto, PBW) e pressões inspiratórias mais baixas (pressão de platô <30 cmH2O).

Colocar pacientes com SDRA grave em posição prona pode melhorar a oxigenação.